Terça-feira, 25 de Março de 2008

Alminhas

"As Alminhas são padrões de culto aos mortos, hoje consideradas património artístico-religioso. São pequenos altares onde se pára um momento para deixar uma oração. É frequente encontrar velas e lamparina acesas, deixadas pelas pessoas que passam no local, ou mesmo oferendas de flores.

Geralmente, as alminhas são erguidas em encruzilhadas de caminhos, quase sempre em caminhos rurais, em matas ou perto de cursos de água, embora também se possa encontrar alminhas junto às estradas nacionais. As alminhas também podem ser incrustadas em velhos muros ou na frontaria de casas e podem ser construídas nos mais diversos materiais.

Aos diferentes estilos de alminhas dá-se o nome de:

  • colunas de granito trabalhadas
  • capelinhas
  • nichos
  • estelas

Um painel pintado a óleo, ou de azulejo, representa as almas do purgatório."

Wikipédia

 - Alminhas da Eira

                                                            

 - Alminhas do Caratão

 

                                                                               

 

 - Alminhas do Fundo da Rua

                      

 

                                                      

 

 - Alminhas da Ribeira

                                

 

 - Alminhas da Parada

 

                                          

                                                                                                         

 

 

- Alminhas da Fonte

                                    

          

                                                                                               

 

publicado por aldsfranciscoassis às 22:19

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Quinta-feira, 6 de Março de 2008

Virgem Peregrina

Texto e fotos retirados do site www.freguesiabarroca.com

 

"Feita segundo indicações da Irmã Lúcia, a primeira Imagem da Virgem Peregrina de Fátima foi oferecida pelo Sr. Bispo de Leiria e coroada solenemente pelo Sr. Arcebispo de Évora, a 13 de Maio de 1947. A partir dessa data, a imagem percorreu, por diversas vezes, o mundo inteiro, levando consigo uma mensagem de paz e amor."

 A chegada á Igreja Matriz

 

 

 

 

 

 

Início da procissão

 

 

 

O regresso à igreja

 

 

 

 

Texto e fotos retirados do site www.freguesiabarroca.com

 

 

publicado por aldsfranciscoassis às 22:16

link do post | comentar | favorito

Dicionário da nossa terra

Letra A-B

A

A eito – seguidamente;

Abesseira – encosta voltada contra o sol;

Aburrar – censurar, repreender;

Acabramar – acalmar, aquietar;

Acalhoar – apedrejar;

Acareio(careio) – tino;

Acochar – subir a árvore;

Acolada – garganta ou depressão entre pontos elevados;

Aconapar – remendar vestuário;

Adondar – amaciar;

Adrogar – falar muito e alto;

Adua – á vez;

Agachis – esconderijo;

Agarrado – avarento;

Agorentar – cuidar, tratar bem pessoa doente;

Agragoujado – curvado das costas devido ao peso;

Aguado – doença de criança por sentir desejo de alimento que não lhe deramAguintar – lançar fora;

Ah catrino! – interjeição de ira;

Alamão – comilão, alarve;

Aldeagar – vadiar;

Alegumar – poupar o conduto;

Alegume – conduto;

Alhada – embrulhada, intriga;

Alombar – levar às costas;

Alquitete – pessoa de modos distintos;

Alterar-se – exaltar-se;

Amalhoar – marcar (defender) terreno com malhão;

Amarejar – gotejar;

Amuado – calado;

Anagalhar – dar o nó, casar;

Anaugua – saia branca de baixo;

Andadeira – mó ou pedra de moinho;

Andana – pagar bebidas a um grupo de pesoas na taberna;

Anegaça(s) – muafas, palhacices;

Anêspera – fruto da nespereira;

Apajear – adular;

Apaparicar – tratar com guloseimas e excessivo cuidado;

Apeanha – peça de tear em que a tecedeira assenta os pés;

Apetrechos – utensílios;

Apouvio – jeito, arranjo;

Apraguejar – blasfemar, rogar pragas;

Araújo – origem , causa, motivo;

Arcádia – argolas de ouro usadas pelas mulheres;

Arredeio – sesta às cabras a meio da tarde;

Arreganhar – arrefecer, sentir frio;

Arruadas – tocar e cantar pelas ruas;

Artesa – pia de pedra ou de tronco de árvore onde come o porco;

Assabenetar – castigar, açoitar, bater;

Atabafadiço – abafadiço;

Áuguas – diagnostico;

Aventesma (abantesma)– fantasma;

Azabouguedo – maluco, tonto, idiota;

Azimbrar – carregar sobretudo árvores;

 

B

Bacro – porco;

Badalo – dar ao badalo =falar muito;

Badana – pessoa sem carácter;

Baldão – estroina, mandrião, gastador;

Balouço – sitio fundo;

Bancada –  v. peal;

Banso(s) – degraus de escadas para a apanha da azeitona;

Baquear – revolver a massa do pão no tigelão;

Baraçana – despreocupado;

Baraço – guita, cordel para jogar o pião;

Barbilho – saco ou freio para os chibos deixarem de mamar;

Barranhão – panela grande, coisa muito grande;

Barreleiro – cesto grande de verga;

Barroco(a) – escavação natural;

Basbaque – parvo, pateta, traste;

Bassouro – vassoura grande feita de rama verde;

Bate-cu – tira olhos, libélula;

Bécula(s) – cara, ventas;

Beginha – vagem;

Bença (bênção) – de benzer, de abençoar;

Betouro – arbustos rasteiros;

Bicha(s) – sanguessugas;

Bocho – cão ainda pequeno;

Bofe(s) – pulmões;

Bolbrinho – redemoinho;

Bonda – já chega, basta;

Borga – estroinice – pândega, andar na vida airada;

Borjeço – pessoa gorda e antipática;

Borracha – saco de couro para o transporte de vinho;

Borralho – brasas com cinza;

Boucha – terra onde se semeia o centeio;

Bouchinha – terra pequena onde se semeia o centeio;

Brença(s) – caruma, agulhas de pinheiro secas;

Bretoldo – parvo, idiota;

Britar – dar uma sova ou tareia num filho;

Brocho(a) – prego pequeno;

Bruxa – braseira de barro;

Bua – água;

Burro – peso em madeira;

publicado por aldsfranciscoassis às 22:13

link do post | comentar | favorito

Letra C-E

C

Cabanal – telheiro, choupana;

Caçamulo – maçaroca mole de milho;

Cachorro – saliência lateral de cavidade feita na rocha;

Caçoar – fazer pouco, troçar de alguém;

Cadência – cuidado, cautela;

Calabre - corda grossa e comprida para atar mato, lenha, etc;

Caldudo – castanhas piladas cozidas;

Calete (pão) – trigo cozido à moda da Guarda;

Calhote – cova pequena;

Calípio – eucalipto;

Camalhão – montes de terra feitos pelo cavador com a enxada;

Cambo – gancho de madeira;

Canada – caminho de gado, passagem de cava-terra;

Canais – calhas onde entram os pentes;

Canastrão – cesto grande de verga;

Canchal – lugar onde há muitas pedras;

Candonga -  negocio ilícito de mercadorias fora do mercado corrente;

Caneira – pé de milho quando verde;

Caniço – grade de canas ou ripas por cima da lareira para secar castanhas;

Canoa – travessa para o cabelo;

Canocho – tanoco;

Cantareira – poial para colocar os cantâros de água;

Capela – roda dentada horizontal do lagar;

Cardado – trabalho; conforme é o trato, assim é o cardado;

Cardela – cordão dde nuvens esgarçadas, indicadoras de vento ou chuva;

Carduço – maçaroca de milho sem o grão;

Caruma – folha de pinheiro;

Cavada – terra em que se corta e queima o mato para semear centeio;

Cavalo – camada de centeio ou trigo ntes de se malhar;

Celamil – celamim;

Chamadouro – agita a francela e faz cair o grão no olhal da mó;

Champoreão – bebida quente de mel com aguardente;

Chancavelho – parvalhão, palerma;

Chanfrana – liquido extraído do alambique, depois de feita a aguardente;

Charepo – reles, sem valor;

Charinga – brinquedo de cana, semelhante á seringa;

Charrua – no sentido de abundância; uma charrua de água;

Chavelhão – pau que se mete no tiro do carro de bois;

Cheberro (chibato) – bode, chibo pequeno;

Chiadouro – vida; aperta o chiadouro = esganar, acabar com a vida;

Chicara-mona – jogo;

Chincar – tirar um olho, cegar alguém;

Chincavelho – sem importância;

Chiquita – boa vida;

Chocalhada – grande barulho, grande ruído de chocalos e latas;

Choucho – oco, sem juízo;

Chusma – grande porção de insectos;

Cieiro – vento seco e muito frio;

Cisco – argueiro nos olhos;

Coadouro – pano que serve para coar, filtrar;

Côca – medo;

Códão – gelo formado no solo;

Coima – castigo, pena, multa;

Coirão – mulher de mau porte;

Compincha – camaradão, companheiro;

Conchoso – sujo, que não se lava;

Condezilha – guarda bem uma coisa, estimação;

Conduto – carne, queijo, etc…, que acompanha o pão;

Cónha – espécie de vassoura com que se varrem os coanhos nas eiras;

Corar – pôr a roupa ao sol depois de uma  primeira lavagem;

Courela – terreno estreito e comprido;

Coxeira – ferida num pé que impede o andar;

Cravelho – fecho de madeira;

Cruzeta – peça superior de segurelha;

Cumeeira – trave principal  do telhado;

 

D

Damongro – demónio;

Debulhar – tirar o grão da maçaroca de milho;

Dejua – pequeno-almoço;

Desenxavido (desenxabido) – insípido;

Desinguinçar – pentear o cabelo;

Desinquieto – irrequieto, traquinas;

Despedrar – encher de dificuldades, frustrar os planos;

Destampatório – gritaria, destempero, zaragata;

Destelo – azeitona que caiem antes da apanha;

Diacho – reprovação;

Dondo – macio;

Dornalho – vasilha feita de cortiça;

 

E

Emborcar – beber muito depressa, de um trago;

Emonado – zangado, calado e mal humorado;

Empapelar – apaparicar;

Emplagado – parecido, muito semelhante;

Encardido – muito sujo;

Encarrapato – nu;

Encheco(enxeco) – estorvo, incomodo;

Enchido – carne para conservar ensacada;

Enchó – armadilha para perdizes;

Endornar – dar forma curva a qualquer coisa;

Enganação – tentação, ganas;

Engonha – empata;

Engonhar – fazer que faz e não faz;

Enxequilho – empecilho;

Enxogar – passar por água;

Enxotar – espantar;

Ervas – esparregado;

Esbolar – esbornicar, golpear as castanhas para se cozerem ou assarem;

Esborcelado – vasilha com o bordo partido;

Esborralhar – desmoronar, cair em ruínas;

Esbouçar – devassar terra cultivada;

Esbragar – deitar abaixo mato ou árvores, devido a passgem de qualquer coisa;

Escádia – pequena farpa de madeira espetada na mão;

Escaleira – degrau;

Escalete – esqueleto;

Escândola – mau exemplo, atitude indecorosa;

Escorropichar – beber até ao último pingo;

Esfagoar – despedação, estragar;

Esfrejoar – cozinhar, sobretudo fritar;

Esgargalar – abrir muito os olhos;

Esgravanada – bátega de chuva;

Esmifrar – enganar, explorar;

Esmoncar – partir;

Esmouquedo – mouco, surdo;

Especada – pessoa pretensiosa;

Esterco – estrume depois de curtido;

Estrincalar – andar muito contente;

Estrugir – refogar, fritar;

Estrume – mato de queiró, de giesta, de sargaço… antes de ser curtido;

publicado por aldsfranciscoassis às 20:56

link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 5 de Março de 2008

Letra F-J

F

Facanejo – canivete em mau estado;

Faixa – molho de trigo, centeio ou feno;

Fanico – desmaio;

Farromba – gabarola;

Ferrado – vasilha de lata pequena;

Ferrolho – escondido;

Ferros – armadilha para coelhos e raposas;

Festa – fazer bolos;

Fieira – fio de vento que no Inverno entra pelas frinchas das portas e janelas;

Filhós – cascoreis;

Fona – faúlha apagada;

Fosqueta – gatimanho, gatafunho, sinais coma s mãos e rosto, brincadeiras;

Fraldisqueiro – femeeiro, dissoluto;

Francela utensílio onde se faz o queijo;

Franquera (Franquiera) – fraqueza, debilidade por falta de alimento;

Frieira – vento fresco;

Fumeiro – enchido;

Fundir – render, principalmente na apanha da azeitona, a azeitona fundiu bem ou mal?;

Fungar – choramingar;

 

G

Gadanha -  concha para tirar o caldo da panela, ceifeira para o trigo, feno e outras ervas;

Galga – mentira;

Galhete – garganta;

Ganau – grupo de raparigas algo levianas;

Gavela – feixe de estrume ou palha de cereais;

Geira - terra lavrada num dia, por uma junta de bois;

Gengibre – gengiva;

Goleima – bolo de broa com cebola picada;

Grandão (grandalhão) – muito grande;

Gravalhouço – pessoa nobre ou rica;

Grave – bem posto;

Graveto – remo de árvore pequeno;

Guirita – naça, espécie de cesto feito de vime para apanhar peixe;

 

H

Heresia – injustiça, barbaridade, causa que mete dó;

Horta – pequena leira de terra;

 

I

Ilustria – imposto;

Impado(ímpeto) – impulso, ataque;

Inculacar – informar;

Ingrolar – enganar;

Interpicar – implicar;

Intertinho – membrana que envolve os intestinos;

Invernia – mau tempo continuado;

 

J

Jaqueta – casaco de homem;

Joina – pequeno feixe de lenha;

Jornal – valor correspondente a um dia de trabalho;

Jusã – peça que sobe ou desce a mó;

publicado por aldsfranciscoassis às 19:46

link do post | comentar | favorito

Letra L-N

L

Labúrdia  - Balbúrdia;

Lacraria – Lacrau;

Ladário – opinião, conselho;

Lambão – comilão, alarve;

Lambarão – muito falador;

Lambareira – alcoviteira;

Lambareiro – guloso;

Landum – paleio, conversa, lábia, treta;

Langrouva – enfezado, raquítico, encolhido;

Lapacheiro – terreno encharcado;

Láparo – coelho ainda pequeno;

Laurear – no sentido de larear, vadiar, andar no laré;

Lavarinto – grande azafama;

Leiva – camalhão de terra levantada pelo arado;

Lobeda – balbúrdia, algazarra;

Lonjura – muito longe;

Luzir – aproveitar, dar rendimento ou lucro, não lhe luz o trabalho = não lhe rende

 

M

Machoco – debulha pequena de milho feita só pelas pessoas da família;

Maleitas – sezões;

Malhão – mancheia de palha atada, que indica terreno defeso de gado;

Malho – machado grande;

Malina – doença epidémica;

Manear – abortar;

Maneta – significa ofensivo. Mandar para o maneta = mandar à tábua, à fava;

Mangar – troçar, fazer pouco;

Mangualde – mangual;

Manoja (Manojo) – pequeno feixe de bandeiras ou folhas de milho;

Marafona – despenteado, com o cabelo emaranhado;

Marchandaria – quinquilharia, bugiganga;

Maresia - orvalhada;

Marrano – bácoro, porco;

Masseira –tabuleiro largo e comprido, onde se amassa a farinha;

Mastrunço -  mulher desajeitada;

Meças – medidas;

Mercar – comprar;

Milheira – pedra de granito;

Minerva – popa, marrafa, cabelo erguido e desalinhado;

Moina – estroinice, vadiagem;

Moio – sessenta alqueires;

Moita – silêncio, caluda;

Molhada – molhos juntos;

Morar – brincar;

Moreia – monte de trampa;

Morrão – parte da torcida da candeia já ardida;

Morrinha – chuva miúda;

Mortinho – terreno com poucas condições para cultivo;

Moura – criança antes de ser baptizada;

Muafa – palhacice, anegaça;

Muruge(Murugem) - erva infestante;

 

N

Naco – bocado de pão;

Nagalho – atilho feito de palha;

Nalga – nádega;

Novidade – primeiros frutos ou produtos da terra;

publicado por aldsfranciscoassis às 17:59

link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 4 de Março de 2008

Letra O-Q

O

Odre – recipiente feito de pele de caprino de avesso para transportar azeite;

Ódgar – lançar água em roupa a corar;

Oh! Tanas – interjeição de recusa;

Orelhada – bofetada;

 

P

Padejar – passar o grão da pá na eira;

Palito – fósforo;

Panal – pano com que se cobre a amassadura para fermentar;

Pancada -  tem pancada, pouco tino;

Panela – vasilha de lata para medir azeite;

Pantanas – de pernas para o ar;

Pardejar – romper da manhã ou ao anoitecer, ao pardejar = ao romper da manhã;

Parouvelas – palavras que não se deve dar importância;

Patos – estamos…=empatámos;

Pavela -  feixe de cinco ou seis gavelas, pequeno molho;

Paviola – padiola;

Peal(Poial) – bancada de pedra;

Peanha – peça de tear em que a tecedeira assenta os pés;

Pedouro – coisa insignificante, pedacito;

Pegoulho (Peguilha) – razão de desavença;

Pejadouro – tábua montada na cale para parar ou pôr movimento o moinho ou o lagar;

Pele – no sentido de frigideira, sertã;

Pelheira – parte da cozinha onde se junta a cinza;

Penetra – peralvilho;

Percevelho – percevejo;

Pernão – par ou pernão = par ou ímpar;

Perneta – teimosia por parte duma criança;

Peso – pedra grande de granito do lagar;

Peste – raio, faísca, pessoa de mau feitio;

Pieira – bronquite, asma;

Pincho – rapaz que dá serventia a um profissional;

Pita – galinha;

Plangana – comida mal feita;

Podão – instrumento cortante com o gume curto e cabo de madeira;

Podôa – pequeno podão com peta

Poia – a parte que o moleiro tira das sementes a moer ou o pão que a forneira ganha em cada cozedura;

Porte – pessoa sem porte = pessoa que não faz pela vida;

Praguejar – blasfemar, rogar pragas;

Preado – cão danado, raivoso;

Prezar – convidar, fulano não prezou ninguém=..não convidou ninguém;

Princhar – deitar fora, arremessar;

Pringueirice – corruptela de pringueiro;

Pringueiro – pessoa preguiçosa e estroina;

Promoso – primoso;

Prumo – pau de suporte;

 

Q

Quebranto – fraqueza, debilidade;

publicado por aldsfranciscoassis às 20:35

link do post | comentar | favorito

Letra R - S

R

Rabaceiro - amigo de coisas verdes;

Rabeira - resto do cereal depois de crivado;

Rapadoura(Rapadouro) - raspadeira com que se raspa a masseira;

Rastejeiro - pessoa que vende cabras ou ovelhas;

Rasto de gado - rebanho;

Rebádouro - pau delgado e comprido, a que se prende o vassouro ou a pá do forno;

Reboutelho (Reboutalho) - restos desprezíveis;

Rebusco - castanha ou azeitona apanhada depois da colheita feita pelo dono;

Rechinchel - muito seco, está como um, rechinchel = está muito seco; 

Redol (Redor) - à volta;

Regalheiro(a) - risco ou rego por onde corre a água em pequena quantidade;

Regueira - risco ou rego feito pelas rodas do carro de bois;

Relego - a palavra relego encontra-se a significar os dias em que o senhor das terras tinha o exclusivo da venda de géneros que constituiam a sua fazenda;

Relevo - período de trabalho, turno;

Roçadoura - instrumento cortante com o gume curvo e cabo de ferro;

Rodete - roda dentada vertical do lagar;

Rodilha - trapos enrodilhados cobertos com fitas de panos entrançadas;

Rolheiro - monte(meda) feito com gabelas de trigo ou centeio;

 

S

Sacho - sachola pequena;

Sachola - enxada pequena;

Safões (Samarra) - resguardo, para as penas, feito de pele de caprino;

Samarrão - termo injurioso, courão;

Santamaro - personagem interveniente na fogueira de rua;

Satorrada - porção de castanhas que se enterram, para se conservarem;

Segurelha - cruzeta de ferro que dá movimento à mó;

Selada - garganta ou depressão entre pontos elevados;

Sírias - força, saúde, não tem sírias  não tem força;

Soldada - salário a pagar ao pastor anualmente;

Sombiante (Semblante) - aparência, aspecto;

Sorte - dote, parcela de terra;

Sovina - agarrado, forreta;

Surra - tareia, sova, açoite;

publicado por aldsfranciscoassis às 18:50

link do post | comentar | favorito

Letra T

T

Talegre -marco deodésico;

Taleiga - saco pequeno de pano;

Taleigo - pequeno saco de pele de cabra, para transporte de sementes e de farinha;

Taloca - toca, buraco;

Tambolarão - sem comando, andar com o braço ao tambolarão = anadar com o braço partido ou descaído;

Tanoco - pé de milho;

Tapadura - trama;

Tarefa - pote de barro;

Tasca - taberna pouco limpa;

Tejalão - malga ou tigela grande;

Terreano - tabaco cultivado nas hortas;

Testada - terreno coberto de mato ou de pinhal;

Testo - tampa de panela;

Tirania - crueldade, mau trato infligidoa pessoas ou animais, ingratidão;

Tisíco - tuberculoso;

Tisnado - queimado pelo sol;

Toco - cepo;

Torga - raiz de urze;

Tornadouro - porção de terra que se atravessa na vala da água da rega;

Touceira - caule de erva ou pequenas flores;

Traitear - espreitar, observar com cuidado, tomar o pulso;

Tranca - pau para enfiar na parte mais fina da vara do lagar;

Traste - espertalhão, velhaco;

Trolha - pancada, sova, açoite, apanhar ou levar trolha = apanhar pancada;

Tropeça (Tripeça) - mesa ou assento de três pernas;

Tropeço - banco ou assento de madeira ou cortiça;

Turco - ateu, sem crença nem civilização

publicado por aldsfranciscoassis às 18:33

link do post | comentar | favorito

Letra U - Z

U

Ucha - queimada;

Ucheiro - pequena extensão de mato queimado;

Ugar - ajeitar o estrume para fazer paveia;

Unheiro - tumor perto das unhas, doença nos olhos;

Untura - unto, gordura;

 

V

Vara - tronco de árvore;

Velga(Belga) - pequena leira de terreno;

Veneta - mania;

Verdegar - verdejar;

Vezo - hábito, costume;

Vianda - comida que se dá aos porcos e , por semelhança, prato mal cozinhado;

Viso - alto dos montes e serras

 

 Z

Zaburro - milho; milho zaburro=milho muito basto para animais;

Zargumalho - mato ou estrume muito fraco;

Zorra - grade para transporte de objectos pessados;

Zouninha - pessoa que trabalha muito, embora sem grande proveito;

Zurrapa - vinho estragado.

publicado por aldsfranciscoassis às 18:22

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Abril 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
15
16
17
18
19
20
21
22
23
25
26
27
28
29

.posts recentes

. ...

. Minas vão crescer 2000 me...

. Hóquei de patins de regre...

. Novo concurso para a Estr...

. TT na Barroca Grande

. Alminhas

. Virgem Peregrina

. Dicionário da nossa terra

. Letra C-E

. Letra F-J

.arquivos

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Maio 2006

. Fevereiro 2006

.links

.Telefones úteis

. CÂMARA MUNICIPAL DA COVILHÃ Tlf.: 351 275 330 600 Fax: 351 275 330 633/622 Email: info@cm-covilha.pt . JUNTA DE FREGUESIA Tlf.: 275 657 325 / 444 // Fax: 275 657 412 / 222 Email: jfasfassis@sapo.pt . CENTRO DE SAÚDE (EXTENSÃO) Tlf.: 275 657 584 . FARMÁCIA BENTO LEAL Tlf.: 275 657 194 Fax: 275 657 371 . BOMBEIROS VOLUNTÁRIOS DA COVILHÃ Tel: 275 310 310 . HOSPITAL COVA DA BEIRA Tel: 275 330 000 . GNR Tel: 275 320 660 . POLICIA Tel: 275 320 992 . CENTRO SOCIAL E PAROQUIAL Tel: 275 657 385 . INCÊNDIOS FLORESTAIS – 117 . PROTECÇÃO CIVIL Tel: 275 337 733 . INEM – 112
blogs SAPO

.subscrever feeds